Na imprensa

Corum e Pingo Doce renovam contratos de arredamento até 2031

A Corum e o Pingo Doce renovaram os contratos de arrendamento de oito imóveis detidos pela sociedade gestora de origem francesa. Os contratos de arrendamento foram prolongados até 2031.

Dois dos imóveis situam-se na Área Metropolitana de Lisboa e são detidos pelo fundo Corum XL, os outros seis edifícios, propriedade do fundo Corum Origin, situam-se nas regiões norte e centro.

Para José Gavino, director da Corum em Portugal, "esta renovação dos contratos de arrendamento é mais uma forma de prolongarmos a nossa presença em Portugal, mas também de confiança no país e nas empresas nacionais. O sector do retalho foi dos que conseguiu crescer durante este período de pandemia e a cadeia Pingo Doce enquadra-se no perfil de empresas que a Corum procura para os seus imóveis, empresas estáveis e com solidez financeira".

A Corum, sociedade gestora de origem francesa com um escritório em Lisboa, detém em Portugal 12 imóveis, através dos seus fundos Corum Origin e Corum XL.

Os fundos Corum investem apenas em imóveis comerciais e são responsáveis pela sua gestão e arrendamento. A Corum detém, através dos seus fundos, cerca 200 imóveis em 17 países europeus e no Canadá, arrendados a mais de 400 empresas. Para manter a estabilidade da rentabilidade aos seus investidores, e para além da diversificação geográfica, os fundos procuram arrendatários de diferentes sectores de atividade com capacidade financeira e com contratos de arrendamento longos.

Em Portugal, os fundos Corum já investiram cerca de 70 milhões de euros, tendo anunciado em Setembro a compra do centro logístico da Nobre, em Rio Maior.

 

Fonte: Diário Imobiliário

Partilhar